formats

Olá! Post rapidinho para atualizar sobre o desafio 15 dias bicho e planta. Pois é, cheguei ao 15º dia!

Acho que pela primeira vez eu participei de um projeto / desafio do começo ao fim e tive ótimos resultados.

Falando um pouco sobre o desafio, foi super fácil de seguir, já que eu adoro salada e todo o resto é muito saboroso e sacia muito. Comi todos os dias muita salada, principalmente na hora do almoço, café da manhã era basicamente ovos com temperos naturais, incluí muita verdura, consumi algumas frutinhas pra ajudar no intestino e muitaaa gordura boa. Baixei o app Fat Secret que a Mari do blog Vida Low Carb (indico muito!) indicou – na verdade já tinha conta lá mas nunca atualizava – para controlar a quantidade diária de gordura, carboidratos líquidos e proteínas e nos meus gráficos dava em média 60% de gordura, 15% de carboidrato e 25% de proteína.

Para quem é leigo no assunto, estes níveis para uma dieta low carb são excelentes, já que a nossa energia deve vir da gordura. NOOOOOSSA LUANA MAS GORDURA? VAI MORRÊ, VAI ENGORDÁ, VAI ENTUPÍ AS VEIA TUDO! Pois é, este era meu pensamento há 2 anos atrás, quando eu comecei a pesquisar o estilo de vida Paleo / LCHF. Não indico que você faça – aliás, não indico nada porque não sou sua nutricionista – sem antes estudar muito, entender e se convencer de que a gordura não é a grande vilã, mas sim o açúcar, a farinha, os cereais e os industrializados lotados de bruxaria. E quando eu falo de gordura, é gordura boa! Azeite, coco, abacate, gordura natural de carnes… Enfim, tudo o que vem de bicho ou de planta. Uma ressalva para o bacon: sim, quem segue este estilo de vida defende (e come) bacon com unhas e dentes, mas eu particularmente acho que o bacon defumado vendido no Brasil em supermercados não é algo saudável, então para sua curiosidade, não, eu não me entupo de bacon. Usei algumas vezes para refogar couve e brócolis e confesso que mesmo sabendo que pode (até mesmo o defumado do Brasil) fiquei com um medinho e peso na consciência. Ah e quase esqueci de mencionar: Água, quanto mais você beber, mais você vai ter sede, então eu acostumei a beber bastante água. E exercícios fiz todos os dias academia e em média 1x por semana patinei de noite.

Maaaas o que eu senti nestes 15 dias, depois de já ter começado há mais de 1 mês a LCHF, foi que eu fiz uma “dieta” sem sacrifícios, sem compulsões, sem passar vontade. Mesmo tendo escorregado algumas vezes com doce ou com alguma coisinha frita, porque eu sou humana e tenho desejos, não senti minha compulsão me dominar, eu tive total controle de tudo! Comi conscientemente, planejei e cumpri. E olha que aniversário de criança, churrasco e outros eventos não faltaram!

Teve lado ruim?

Sim, ter que dizer não e ir contra todos os meus maus hábitos é muito difícil. Ter que explicar pra todo mundo que não queria comer arroz e feijão, só carne e salada é muito desgastante. Ter medos, dúvidas, receios, ser julgada e criticada por alguns (quero ressaltar que a maior parte das pessoas que convivo me ajudou muito e entendeu minha determinação!). Outra coisa é meu intestino que já não funciona às mil maravilhas, mas ao contrário de quando eu consumia carboidrato, eu não fiquei estufada e com mal estar por ficar 2 dias sem ir no banheiro fazer o 2, eu fiquei confortável e quando eu sentia vontade, era MUITA vontade rs, não era aquela coisa de ficar sentada esperando a boa vontade do cocô vir, era sentar e pronto! Trabalho feito!

Ennnfim, vamos ao que você quer saber. Não vou colocar  meu peso atual porque eu tenho vergonha, mas:

Emagreci 2,9 Kg

Diminui 4 cm de cintura

Diminui 3 cm de barriga

Diminui 3 cm de quadril

Meu rosto afinou

Minha pele melhorou (apesar de pipocar espinha depois que comi um bolo de chocolate – oh o organismo me castigando!)

Minha alergia de pele melhorou

Não fiquei doente (todo começo de outono sou a primeira pessoa a ficar gripada em casa. Em casa todos ficaram e no meu trabalho também, menos eu.)

Agora acabou o desafio, acabou a vida saudável? Não, né! Vou seguir com a mesma alimentação destes 15 dias, com a diferença de que se eu quiser comer um queijinho, um pouco de requeijão ou algum outro derivado do leite, eu vou. O desafio foi excelente para eu ver que posso, que consigo, que não é tão difícil quanto parece. Nestes 2 anos que vim engordando eu tentei de tudo desesperadamente e não era uma coisa natural, logo desistia. Agora eu deixei um pouco de lado a satisfação que eu me obrigava a dar pros meus leitores e fiz só o que eu queria, o que eu achava que valia a pena pra mim e o que iria me ajudar, além de continuar passando experiências por livre e espontânea vontade nas redes sociais do blog, porque eu morro de saudades de vocês <3

Então é isso! Um beijo e até o próximo post!